sábado, 6 de agosto de 2016

Jornalista Baby Garroux: A "pira do povo” foi acesa por um jovem, negro e nascido no morro da Mangueira, sorridente para o mundo todo com a Igreja da Candelária ao fundo....




Quer mais????

Não é preciso porque 23 anos depois, a Candelária troca a chacina por pira meia hora depois de Vanderlei Cordeiro acender a pira olímpica no Maracanã.

O Jorge Gomes de 14 anos foi o responsável por atear fogo ao objeto que representará os Jogos Olímpicos enquanto eles estiverem na Cidade Maravilhosa. Local das vítimas em sua maioria, jovens e negros.

A chacina da Candelária, levou pessoas às ruas, mobilizou movimentos sociais e transformou o Rio de Janeiro em um exemplo de cidade violenta. O papa Francisco deixou sua mensagem lá: "Candelária nunca mais!".

Hoje, o palco do horror faz parte da revitalização do centro promovido por conta da Rio-2016. A “pira do povo” fica acesa durante todos os dias dos Jogos no chamado “boulevard olímpico”. Muitos turistas passam por lá para conheceram a outra Candelária....

A escolha de Jorge chegou e por conta da Vila Olímpica da Mangueira, projeto social da escola de samba homônima que oferece aulas de vários esportes, entre eles o atletismo praticado pelo eleito.


Nascido no morro da Mangueira, Jorge viveu em abrigos até os oito anos, foi adotado pela mãe Ana Oliveira: “Nunca imaginava que isso poderia acontecer”, disse o garoto. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário