segunda-feira, 18 de julho de 2016

Jornalista Baby Garroux: Bono, membro do U2, testemunhou a matança em Nice durante os ataques e se refugiou em um restaurante até a polícia anti-terrorismo proceder seu resgate...





Ele lamenta pelas vítimas do massacre de 14 de julho, pelas mãos de Mohamed Lahouaiej Bouhel em Nice. Bono, U2, foi um que testemunhou o horror que invadiu a cidade francesa. Em suas redes sociais Bono publicou fotos dos dias após atentado.

O músico de 56 anos estava no terraço do restaurante 'La Petite Maison', quando começou o horror: “O louco Bouhel se atirou incontrolavelmente contra centenas de pessoas que estavam apreciando os fogos de artifício para o Dia da Bastilha. A cidade entrou em um clima de terror e incerteza. De repente, vi pessoas correndo, sem gritar. Foi como um pânico silencioso."

O Christian Estrosi, prefeito de Nice, estava sentado perto de Bono. O político estava no telefone e sem falar muito, sendo colocando a par da situação, pediu para a sua equipe para descer as cortinas e pediu para os que estavam jantando manter a calma, até que ficou claro o que estava acontecendo.

Bono possui uma casa perto da aldeia de Eze, e, no momento do ataque, estava com um grupo de amigos jantando. Quando mataram o terrorista Bono foi resgatado por policiais armados e foi levado para Massena. 



Bono teve que colocar as mãos atrás da cabeça, como todos, e foi convidado a manter a calma.

No mesmo restaurante, estava o  advogado dos jogadores do Real Madrid  Madrid Eric Dupont-Moretti, Karim Benzema e o restaurateur Alain Ducasse.



Bono já testemunhou duas vezes um ataque terrorista na França. O primeiro foi no Bataclan em novembro do ano passado em Paris. Na foto ele e sua banda estavam ensaiando para um concerto em Paris, quando os membros do Estado Islâmico atacaram o teatro Batallan e seus arredores, deixando um saldo de 89 pessoas mortas.



Nenhum comentário:

Postar um comentário